Telhados Verdes

Telhados Verdes
Quando olhamos uma foto aérea de um grande centro urbano podemos perceber o quanto são raras as áreas verdes. Vistas de cima, as cidades são ocupadas por telhados. E os impactos do desmatamento e da impermeabilização do solo vão muito além do fator estético. Alta das temperaturas e inundações são dois exemplos das consequências cruéis que isso acarreta.
Imagine cidades como Nova York, São Paulo e Tóquio com jardins na cobertura de todos os prédios, como na ilustração da foto acima. Foi com esse pensamento que ambientalistas lançaram a idéia de transformar os telhados em áreas verdes. Verdadeiros jardins suspensos que, além de purificar o ar e oferecer isolamento climático, protegem o imóvel e possibilitam economia de energia.

Em Copenhague, na Dinamarca, foi aprovada recentemente uma lei que incentiva a implantação de telhados verdes nos novos edifícios, seguindo o exemplo de Toronto e Beirute.

Só em Toronto, Canadá, uma lei similar resultou em 1,2 milhão de metros quadrados de áreas verde em diferentes tipos de construções e uma economia de energia de mais de 1,5 milhão de kWh por ano para os proprietários dessas edificações.

Essa tendência também começa a surgir no Brasil, nas principais capitais do país. Um dos pioneiros aqui foi o Centro Cultural São Paulo, inaugurado em 1982 e concebido por um grupo de arquitetos coordenado por Eurico Prado Lopes e Luiz Telles. Os jardins suspensos do CCSP se tornaram um espaço de lazer para os frequentadores, onde é possível até tomar banho de sol.

Outro projeto interessante é do Shopping Eldorado que utiliza todo o seu telhado para uma imensa horta que abastece toda a praça de alimentação com frutas, verduras e legumes 100% orgânicos, além de aproveitar o lixo para a compostagem da terra dos canteiros.

Já existem empresas especializadas na implantação de telhados verdes em edifícios e casas. Uma rápida busca no Google retorna vários nomes de empresas especializadas e explicações sobre como é feita a implantação. É bom ir se familiarizando com a idéia pois já correm projetos de lei para torná-los obrigatórios por aqui também.

 

Share This

Leave a Comment