LAVABOS: Uma Breve História

LAVABOS: Uma Breve História
Outro dia um cliente me perguntou por que os lavabos são tão apertados. Mesmo em casas grandes e até luxuosas, os lavabos são o menor espaço no projeto, perdendo com grande folga até para a despensa.
Lavar as mãos fazia parte do ritual de muitas religiões da antiguidade, também incorporado aos rituais da igreja católica. A palavra “lavabo” tem raiz Indo-Européia e significa justamente lavar ou limpar.
Lavar as mãos antes das refeições tornou-se um hábito mais popular na idade média, como forma de prevenção de doenças. Os lavabos eram pias exclusivas para essa finalidade ou simplesmente uma bacia e um jarro
de água sobre um móvel.
As regras de etiqueta até bem pouco tempo diziam que não era uma coisa elegante usar o banheiro na casa de outras pessoas. E embora as regras de etiqueta tenham mudado significativamente nas últimas décadas, os
banheiros continuam a ser um lugar muito pessoal.
Um amigo me contou outro dia que fica chocado quando alguma visita pede para usar seu banheiro. Ele vive em um pequeno e charmoso loft em São Paulo e tem apenas um banheiro. Segundo ele, a resposta sai cordial, “Claro! Fique á vontade!”, mas lá no fundo ele grita “Como assim???”.
Para muitas pessoas não há grau de intimidade que justifique compartilhar o banheiro. Para alguns, nem o casamento. A grande verdade é que não há quem não se sinta um pouco constrangido nessas situações.
Por isso os lavabos evoluíram e passaram a abrigar também um espaço reservado com vaso sanitário.
A concepção de lavabo quase como um segundo banheiro é uma coisa bem mais recente. Surgiu com a necessidade de preservar a privacidade dos donos da casa e atender casos emergenciais dos eventuais visitantes.
Apesar de pequenos os lavabos contemporâneos recebem a mesma atenção que o resto da casa nos acabamentos e decoração. As proporções reduzidas permitem inclusive projetos mais ousados que podem ser trocados sem grandes custos.
Além das questões de higiene, os lavabos fazem parte do contexto de receber bem. Para as mulheres eles servem também para retocar a maquiagem. No lavabo da minha casa, por exemplo, eu costumo deixar um batom e
um lápis, para socorrer minhas amigas.
Mas, respondendo a pergunta de meu cliente que originou este post, penso que os lavabos continuam pequenos justamente para que os eventuais usuários não se sintam à vontade demais e lembrem-se das antigas regras de
etiqueta.
Share This
1 Comment
  1. […] Fotos: Priscila Paggiaro Leia também este post: Lavabos, Uma Breve História […]

Leave a Comment